PlanetadeLivros
Leonie Frieda
 ©© Charlotte Hazeldine
©© Charlotte Hazeldine

Leonie Frieda

Leonie Frieda, sueca de nascimento, mas educada na Grã-Bretanha, Alemanha e França, fala cinco línguas. As suas investigações sobre Catarina de Médici levaram-na a Paris, Florença e Roma, bem como aos castelos do Vale do Loire. O seu livro Catarina de Médici foi um best-seller e traduzido para oito línguas. Vive em Londres com a sua filha Elisabeth e o seu filho Jake.

Catarina de Medici
Compre

Catarina de Medici

Leonie Frieda

Poder, estratégia, paixão e vingança

Compre
Sinopse de Catarina de Medici

Órfã desde a infância, herdeira de um nome antigo e de uma vasta fortuna, Catarina de Médici foi educada na corte Florentina. Com apenas 14 anos, o seu tio, o Papa, casa-a com o futuro rei Henrique II de França, mas este só tem olhos para a sua bela amante, Diane de Poitiers, que humilhava a jovem continuamente.

 

Em 1559, após a morte do seu marido, num duelo em Paris, Catarina vê-se empurrada para o centro do turbilhão da política francesa. Com o país dilacerado por conflitos, a viúva de quarenta anos e rainha-mãe tornou-se a figura mais importante de França durante os trinta anos seguintes. Depois de tentar promover a tolerância religiosa, viu-se forçada a adotar métodos extremos enquanto lutava pela sobrevivência do legado do seu marido e pelo direito real dos seus filhos. Isto levou ao infame Massacre de São Bartolomeu, em 24 de agosto de 1572, quando milhares de protestantes franceses foram chacinados.

Contemporânea e, por vezes, aliada de Isabel I de Inglaterra, Catarina foi uma excelente estratega política e uma conspiradora implacável. Apesar de ser considerada por muitos como uma intrusa, e de não ter uma base de poder natural própria, governou França com toda a determinação pelos seus filhos, três dos quais se tornaram reis de França, incluindo um que casou com Maria, rainha da Escócia. O amor obsessivo pelos seus filhos foi o seu ponto fraco e acabou por se tornar uma ameaça às suas grandes ambições para a França.

 

Retratada pela História como uma mulher sem escrúpulos, apelidada de «Rainha Negra», a historiadora Leonie Frieda traz-nos, nesta extraordinária biografia, uma visão diferente, de uma política inteligente, astuta e determinada. A História da Rainha que mudou França.

Órfã desde a infância, herdeira de um nome antigo e de uma vasta fortuna, Catarina de Médici foi educada na corte Florentina. Com apenas 14 anos, o seu tio, o Papa, casa-a com o futuro rei Henrique II de França, mas este só tem olhos para a sua bela amante, Diane de Poitiers, que humilhava a jovem continuamente.

 

Em 1559, após a morte do seu marido, num duelo em Paris, Catarina vê-se empurrada para o centro do turbilhão da política francesa. Com o país dilacerado por conflitos, a viúva de quarenta anos e rainha-mãe tornou-se a figura mais importante de França durante os trinta anos seguintes. Depois de tentar promover a tolerância religiosa, viu-se forçada a adotar métodos extremos enquanto lutava pela sobrevivência do legado do seu marido e pelo direito real dos seus filhos. Isto levou ao infame Massacre de São Bartolomeu, em 24 de agosto de 1572, quando milhares de protestantes franceses foram chacinados.

Contemporânea e, por vezes, aliada de Isabel I de Inglaterra, Catarina foi uma excelente estratega política e uma conspiradora implacável. Apesar de ser considerada por muitos como uma intrusa, e de não ter uma base de poder natural própria, governou França com toda a determinação pelos seus filhos, três dos quais se tornaram reis de França, incluindo um que casou com Maria, rainha da Escócia. O amor obsessivo pelos seus filhos foi o seu ponto fraco e acabou por se tornar uma ameaça às suas grandes ambições para a França.

 

Retratada pela História como uma mulher sem escrúpulos, apelidada de «Rainha Negra», a historiadora Leonie Frieda traz-nos, nesta extraordinária biografia, uma visão diferente, de uma política inteligente, astuta e determinada. A História da Rainha que mudou França.

Bibliografia de Leonie Frieda